Hello! It's me again!

Hoje é um dia muito importante, é o dia da profissão que eu escolhi! Então, para não passar em branco e não deixar de passar alguma informação... Venho falar sobre a veterinária. Comecei a escrever o post de manhã mas devido a correria, só consegui postar agora kkk. Bora saber mais?



A História da Medicina Veterinária e do Médico Veterinário

A medicina veterinária é tão antiga quanto a ligação que os seres humanos realizaram com os animais. A "ars veterinaria" estava registrada no Papiro de Kahoun, de cerca de 4000 a.C.. Os códigos Eshn Unna (1900 a.C.) e de Hamurabi (c. 1700 a.C.), na Babilônia, trazem referências ao pagamento e atribuições dos médicos dos animais.

Na Grécia Antiga, a profissão, então chamada de hipiátrica, data do século VI a.C.; já em Roma alguns tratados foram dedicados às doenças animais, como os de Catão e de Columela.


Apsirtos

Apsirtos, considerado o "Pai da Medicina Veterinária" no Ocidente, nasceu em Clazômenas, em 300, foi autor de 121 dos 420 artigos do tratado publicado no século VI, no Império Bizantino, chamado Hippiatrika. Formado em Medicina, em Alexandria, foi o Médico Veterinário chefe no exército de Constantino.


Sistematização do estudo

Foi durante o reinado de Afonso V de Aragão, na Espanha, que o estudo básico teve início; no governo de Fernando e Isabel, foi disciplinado o cargo de albeitar - palavra derivada do nome de um grande médico de animais, de origem árabe (cujo nome era Eb-Ebb-Beithar), e que foi traduzido para o português como alveitar.

Seu estudo sistemático, porém, só veio com a fundação da primeira escola de Medicina Veterinária, pelo francês Claude Bougerlat, em 4 de agosto de 1761, à qual se seguiram o surgimento, na Europa de vários outros cursos, tais como as escolas de Viena, em 1768, Turim (1769) e Gôttingen (1771).



No Brasil

Com a chegada da família real ao Brasil, em 1808, a cultura científica e literária brasileira recebeu novo alento, pois até então não havia bibliotecas, imprensa e ensino superior no Brasil Colônia. São fundadas, inicialmente, as Faculdades de Medicina (1815), Direito (1827) e a de Engenharia Politécnica (1874). Quanto ao ensino das Ciências Agrárias, seu interesse só foi despertado quando o Imperador D. Pedro II, ao viajar para França, em 1875, visitou a Escola de Medicina Veterinária de Alfort, impressionou-se com uma Conferência ministrada pelo Médico Veterinário e Fisiologista Dr. Collin. Ao regressar ao Brasil, tentou propiciar condições para a criação de entidade semelhante no País.

Entretanto, somente no início do século XX, já sob regime republicano, autoridades brasileiras decretaram a criação das duas primeiras instituições de ensino de Medicina Veterinária no Brasil, a Escola de Medicina Veterinária do Exército, pelo Dec. nº 2.232, de 6 de janeiro de 1910 (aberta em 17 de julho de 1914), e a Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária, através do Dec. nº 8.919 de 20 de outubro de 1910 (aberta em 4 de setembro de 1913), ambas na cidade do Rio de Janeiro.

Em 1911, em Olinda, Pernambuco, a Congregação Beneditina Brasileira do Mosteiro de São Bento, através do Abade D. Pedro Roeser, sugere a criação de uma instituição destinada ao ensino das ciências agrárias, ou seja, Agronomia e Veterinária. As escolas teriam como padrão de ensino as clássicas escolas agrícolas da Alemanha, as "Landwirschaf Hochschule". No dia 1º de julho de 1914, eram inaugurados os curso de Agronomia e Medicina Veterinária nesta instituição. Todavia, por ocasião da realização da terceira sessão da Congregação, em 15 de dezembro de 1913, ou seja antes da abertura oficial do curso de Medicina Veterinária, um Farmacêutico formado pela Faculdade de Medicina e Farmácia da Bahia solicitava matrícula no curso de Medicina Veterinária, na condição de "portador de outro diploma do curso superior".

A Congregação, acatando a solicitação do postulante, além de aceitar dispensa das matérias já cursadas indica um professor particular, para lhe transmitir os conhecimentos necessários para a obtenção do diploma antes dos (quatro) anos regimentares. Assim, no dia 13 de novembro de 1915, durante a 24ª sessão da congregação, recebia o grau de Médico Veterinário o senhor Dr. Dionysio Meilli, primeiro Médico Veterinário formado e diplomado no Brasil.

Desde o início de suas atividades até o ano de 1925, foram diplomados 24 médicos veterinários. Em 29 de janeiro, após treze anos de funcionamento, a Escola foi fechada por ordem do Abade D. Pedro Roeser.

A primeira mulher diplomada em Medicina Veterinária no Brasil foi a Dra. Nair Eugênia Lobo, na turma de 1929 pela Escola Superior de Agricultura e Veterinária, hoje Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.-UFRRJ.

No Brasil, os primeiros trabalhos científicos abrangendo a patologia comparada (animal e humana) foram realizados pelo Capitão-Médico João Moniz Barreto de Aragão (fundador da Escola de Medicina Veterinária do Exército), em 1917, no Rio de Janeiro, e cognominado Patrono da Medicina Veterinária Militar Brasileira, cuja comemoração se dá no dia 17 de junho, data oficial de inauguração da Escola de Medicina Veterinária do Exército (17 de junho de 1914).


Modernidade

Recentemente a aplicação da medicina veterinária tem se expandido por causa da disponibilidade de técnicas avançadas de diagnóstico e de terapia para a maioria das espécies animais, bem como pelos avanços científicos em outras áreas, como a genética, a biotecnologia, a fisiologia, que proporcionam melhoramentos nos sistemas de produção animal.

Em 1946, a Organização Mundial de Saúde (OMS), reconhecendo a necessidade de se conciliar, definitivamente, os inseparáveis preceitos da saúde humana com a saúde dos animais, recomendou que se criasse a uma seção de saúde veterinária, que foi estabelecida no ano de 1949; assim define a OMS, em 1951, a Saúde Pública Veterinária:

"A Saúde Pública Veterinária compreende todos os esforços da comunidade que influenciam e são influenciados pela arte e ciência médico-veterinária, aplicados à prevenção da doença, proteção da vida e promoção do bem-estar e eficiência do ser humano" (Organização Mundial da Saúde, 1951). Em 1955, foram estabelecidas as seguintes atividades para esta área: o controle e erradicação de zoonoses; a higiene dos alimentos; os trabalhos de laboratório; os trabalhos em biologia e as atividades experimentais.


Áreas de atuação do médico veterinário:
  1. Exercício da profissão de médico veterinário em regime liberal;
  2. Tratamento das enfermidades e dos traumatismos que afetam os animais;
  3. Indústrias farmacêuticas;
  4. Laboratórios de análises;
  5. Saúde pública;
  6. Inspeção e segurança alimentar;
  7. Organismos do ministérios da agricultura e saúde e direções regionais;
  8. Indústrias alimentares de produtos de origem animal;
  9. Indústrias de alimentos compostos para animais;
  10. Administração autárquica;
  11. Pesquisa em diversos campos da saúde, humana e veterinária;
  12. Professor universitário.
Especializações veterinárias:

O título de especialização para os médicos veterinários depende da realização de cursos especializados, dos quais os principais são:


  •     Acupuntura veterinária
  •     Anestesiologia veterinária
  •     Aquarismo
  •     Bem-estar e comportamento animal
  •     Clínica e técnica cirúrgica
  •     Clínica médica de grandes animais - ruminantes, equídeos e suínos
  •     Clínica médica de pequenos animais - cardiologia, dermatologia, odontologia, oftalmologia, ortopedia e traumatologia
  •     Ecologia e gestão ambiental
  •     Farmacologia e terapêutica veterinária
  •     Fisiologia e endocrinologia veterinária
  •     Fisioterapia e reabilitação animal
  •     Hematologia veterinária
  •     Homeopatia veterinária
  •     Imunologia
  •     Inspeção higiênica, sanitária e tecnológica de produtos de origem animal - carnes e derivados, leite e derivados, pescado e derivados, ovos e derivados, mel e derivados, controle físico-químico e microbiológico de produtos de origem animal
  •     Medicina e produção de animais aquáticos
  •     Medicina e produção de animais de laboratórios
  •     Medicina e produção de animais silvestres
  •     Medicina e produção de animais selvagens
  •     Medicina veterinária intensiva
  •     Medicina veterinária legal
  •     Medicina veterinária preventiva - saúde pública, epidemiologia, zoonoses e planejamento em saúde animal, doenças infecciosas e parasitárias, vigilância sanitária
  •     Microbiologia veterinária - virologia, bacteriologia e micologia
  •     Morfologia veterinária - anatomia, histologia, citologia e embriologia
  •     Neurologia veterinária
  •     Odontologia veterinária
  •     Oncologia veterinária
  •     Parasitologia veterinária
  •     Patologia veterinária - anatomia patológica, histopatologia e ornitopatologia
  •     Radiologia e diagnóstico por imagem veterinária - ultra-sonografia, ressonância magnética, tomografia e videolaparoscopia
  •     Reprodução animal (também chamada de teriogenologia) - andrologia, tecnologia do sêmen e inseminação artificial, ginecologia e obstetrícia médico-veterinária, produção “in vitro” de embriões, transferência de embriões, clonagem animal, transgênese animal, fisiologia e manejo reprodutivo
  •     Toxicologia veterinária
  •     Urologia e nefrologia felina 



FONTE: WIKIPÉDIA (no link vocês vão achar mais informações também)


Meu primeiro ano como estudante de veterinária!

PUXADO! kkk Sim, o curso não é nada fácil e nem barato para manter (livros, equipamentos...) mas eu estou AMANDO! É tão bom você estudar o que gosta, ler, tirar as dúvidas sobre casos que já viu... Além dos descontos que tenho na clínica e os estágios maravilhosos! 
Nem tudo são bichos fofinhos, você precisa mexer com animais no formol, dissecar, segurar e ficar sempre muito alerta com as informações. As provas práticas são um terror, mas a gente leva! kkk


1ª Foto: Eu na aula de anatomia; 2ª Foto: Atendimento no Hospital Veterinário Leme pelo professor e veterinário José R. M. Varzone; 3ª Foto: Parte de cima do crânio de um equino.

Conheça também nosso marcador Medicina Veterinária

Principais postagens:


Feliz dia do Médico Veterinário para todos que exercem essa profissão maravilhosa! 

  


6 Comentários

  1. Esse post deixou meu coração bem quentinho, Isabela! Amei, amei, amei muito.
    Sou apaixonada por medicina veterinária e como não poderei fazer parte dessa área (não tenho coragem, meu coração é muito frágil), eu admiro de longe. haha


    Achei incrível o post, aprendi muita coisa nova. Adoraria que você continuasse a compartilhar aqui coisas sobre o curso (tipo um diário, você falando como está sendo, etc) pois amaria acompanhar e saber mais!

    Parabéns atrasado, Isa! Obrigada por se dedicar a cuidar de tantos animaizinhos! Você é incrível ♥

    Ps: já li todos os seus posts que possuem o marcador de medicina veterinária e amei os tutoriais! :)

    ResponderExcluir
  2. Minha irmã tá no 6º período de vet e é o que ela quer fazer desde sempre, nunca escutei a menina cogitar qualquer outra profissão! Assim como você disse é puxado, mas acho que é esperado porque é um curso de medicina, TEM que ser puxado mesmo.
    Outro dia inclusive vieram falar pra ela que não acreditam que ela precise estudar tanto e a gente só virou os olhos, haja paciência!
    Adorei saber sobre a história do curso no Brasil! É tão recente, né? Muito louco isso!

    http://sweetluly.expressorosa.com/

    ResponderExcluir
  3. Acho uma profissão incrível, inclusive já falei que ia ser quando era mais nova (descobri que não é pra mim, mas enfim...). *-*
    Adorei sua ideia de falar da história da veterinária, é um tema diferente mas que tem tudo a ver com você. <3
    E eu simplesmente adoro ver as pessoas falando que tal curso é difícil, mas que vale a pena porque a faz feliz. Isso é maravilhoso!

    Beijos! :*

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre amei os animais, leio bastante sobre os cuidados com os meus bebês... Não faria medicina veterinária pq eu tenho coração molengo e não ia aguentar tratar os bichinhos machucados e tals tenho mó dó e não gosto nem de ver aquelas fotos de maus tratos! Mas acho uma profissão linda, pena que um pouco desvalorizada e devido a não ter clinicas gratuitas é muito difícil cuidar dos animais. Na minha cidade por exemplo, eu quero castrar a minha cachorrinha uma vira lata de pequeno porte e o valor mais acessível que achei foi R$ 400,00 reais... Desempregada eu e meu marido é impossível dar conta desse valor além de não termos como transportar ela... O canil da cidade dava a castração de graça, mas pararam de fazer... Agora tenho dois filhotes dela, um casal não posso doar porque um tem problemas respiratórios e ninguém quer e a cachorrinha bom quem tem 2 pode ter 4 e vamos dar um jeito! Vamos castrar o povo todo um de cada vez por ordem de prioridade, guardar o $$ pra ter condições e vamos que vamos pq eu não fico sem meus babys! Muito completo teu post, bem explicadinho... =D

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre dizia que seria veterinária, mas acabei seguindo por outros caminhos. Admiro tanto vocês. Meus amigos de quatro patas estão sempre em boas mãos.

    ResponderExcluir
  6. Acho lindo quem escolhe essa profissão <3 Tenho 2 cachorras e adoro elas cada uma com seu jeitinho haha E acho super legal quem se dedica pra cuidar da vida desses animais. Minha irma infelizmente desistiu de veterinária :(

    ResponderExcluir